Santa Casa de Lorena volta a suspender serviço ambulatorial

Pela segunda vez neste ano, a Santa Casa de Lorena anunciou a suspensão dos atendimentos ambulatoriais realizados por meio do SUS (Sistema Único de Saúde). A medida, que entrará em vigor na próxima quinta-feira (1), foi tomada para que os profissionais de Saúde consigam atender a alta demanda de pacientes com Covid-19 que buscam a unidade.

Publicada na noite da última terça-feira (30), a nota de esclarecimento explica que as consultas e atendimentos ambulatoriais, como cirurgias, seguirão paralisados por tempo indeterminado. Entre as principais especialidades médicas oferecidas na Santa Casa estão cardiologia, gastroenterologia, ginecologia e urologia.

Em contrapartida, os casos de urgência seguirão sendo atendidos no Pronto Socorro.

Esta é a segunda vez que ocorre em 2021 a interrupção no serviço ambulatorial na Santa Casa devido ao alto número de pacientes infectados pelo novo coronavírus em Lorena. A primeira vez foi em 8 de janeiro, quando a atual gestão municipal, comandada pelo prefeito Sylvio Ballerini (PSDB), justificou que a ação aconteceu devido ao aumento de 75% na demanda de vítimas da pandemia no hospital. Os serviços foram retomados cerca de três semanas depois.

A nova paralisação foi anunciada poucas horas após a Santa Casa divulgar a abertura do processo seletivo para a contratação, imediata, de médicos emergencistas. A abertura das vagas tem como foco os plantões de 24 horas. O valor do contrato varia de R$ 4 mil para plantões de segunda a sexta-feira e R$ 5 mil para sábados e domingos.

A reportagem do Jornal Atos solicitou à direção da Santa Casa a informação se os serviços ambulatoriais particulares serão mantidos, porém nenhuma resposta foi encaminhada até o fechamento desta edição.

Preocupação – De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Lorena no fim da tarde desta quarta-feira (31), a Santa Casa registra uma taxa de ocupação de 103% de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para casos de Covid-19, abrigando 24 pacientes. Já a taxa de ocupação no setor clínico atinge 87%, atendendo 33 infectados.

Segundo o boletim, a cidade totaliza desde o início da pandemia 4.472 contaminados, sendo 112 mortos e 4.290 curados.
Fonte: Jornal Atos/Lucas Barbosa