Mãe de suspeito de matar mulher, carbonizar e enterrar corpo é presa em Passa Quatro, MG

A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira (23) a mãe do suspeito de matar Stefania Monteiro, queimar o corpo dela e enterrar. De acordo com a polícia, ela, que também é suspeita de participação, tinha mandado de prisão expedido e se apresentou ao delegado em Passa Quatro (MG).

Segundo o delegado Bruno Cunha, a mulher de 60 anos confessou que o corpo da vítima foi carbonizado no quintal da casa dela. Ainda de acordo com o delegado, ela colaborou com a movimentação de um latão utilizado no crime.

Além dela, o ex-companheiro da vítima e o pai dele também estão presos. De acordo com a Polícia Civil, um quarto suspeito, que auxiliou na reconstituição do momento em que o corpo foi carbonizado e ocultado em uma estrada rural, também está detido.

Investigações e prisões de pai e filho
No fim de dezembro de 2020, a família de Stefânia registrou o desaparecimento dela, após ela não atender o telefone por vários dias e não aparecer durante as festividades de Natal para visitar o filho em Aparecida (SP). De acordo com a investigação, a vítima não dava notícias desde novembro.

A partir daí, a polícia explica que vários procedimentos e oitivas foram realizados e, apesar de também manter uma relação estável com outra mulher, o principal suspeito mantinha um relacionamento com a vítima, constante e público. Com isso foram colhidos depoimentos dele e de testemunhas que os conheciam, além da outra mulher com quem o investigado se relacionava.

Com os dados, a equipe da Delegacia de Passa Quatro chegou ao entendimento sobre os suspeitos e foi realizado pedido dos mandados de prisão de pai e filho. Renato Franca Silva, de 30 anos, foi preso no início de março enquanto visitava um filho em Osasco (SP). O pai de Renato foi detido em Itanhandu, suspeito de ter ajudado a esconder o crime.

O corpo de Stefânia Monteiro foi encontrado na noite do mesmo dia em que Renato Franca Silva foi preso. Os investigadores da Polícia Civil localizaram o corpo por volta de 19h45 em uma estrada rural próxima a São Sebastião do Rio Verde (MG).

A perícia realizada no corpo da vítima apontou que a mulher de 37 anos foi espancada antes de morrer. O resultado da necropsia foi divulgado no dia 6 de março pela Polícia Civil. Segundo resultado da perícia, vítima foi espancada antes de morrer, uma vez que o cadáver apresentava sinais de politraumatismo.
Fonte: G1
Foto: Polícia Civil/Redes Sociais