Após fake news, Guaratinguetá nega relação de morte de idoso com vacina contra a Covid-19

Após as redes sociais serem bombardeadas por informações falsas que indicavam que um evento adverso era suspeito de ter causado a morte de um idoso vacinado contra a Covid-19 em Guaratinguetá, a prefeitura emitiu uma nota em que esclarece que o falecimento da vítima, moradora de uma instituição de longa permanência, não tem relação com o imunizante contra o vírus.
De acordo com a Secretaria de Saúde, fora realizada uma investigação e constatado que o idoso havia sido hospitalizado com sintomas de contaminação pela Covid-19, fato que também ocorreu com outros idosos da mesma instituição. A pasta foi informada ainda que funcionários haviam sido afastados com suspeita da doença e, ao menos três, já haviam testes confirmados.
“Diante do resultado positivo de RT-PCR deste paciente que veio a óbito, o evento adverso pela vacina foi descartado, pois caso fosse reação vacinal não haveria presença de vírus na amostra coletada, uma vez que a vacina CoronaVac é inativada e não pode causar a doença coronavírus”, explicou o município. “Por fim, esclareceremos que o efeito protetivo da vacina se dá a partir de 30 dias após a segunda dose”, continuou.
Segundo a pasta, foi aberto ainda um registro de surto por coronavírus na instituição.
Fonte: OVALE
Foto: Claudio Vieira/PMSJC